Pular para o conteúdo principal

O INTERDITO

.
..................................................Na via pública
..................................................um grito sorri
....................................................inter
....................................................ditado

..................................................Não se pode sub
..................................................verter ao meio
..................................................de um dia útil

...................... ...........................lembra o cidadão

..................................................apertando o nó
........................................................a gravata
.....................................................a nexos

Comentários

Graça Carpes disse…
... E então estende-se o grito às extremidades.
Bjo
:)
Bela provocação, meu caro! O que fazer quando não pudermos subverter certas artimanhas da rotina? O grito aglutina um desejo de não se tornar autista.

Abraços!!
lau siqueira disse…
às vezes parece mesmo que a vida é um grito contido, Heber. E às vezes, que toda arquitetura que nos cerca, é linguagem.
Enfim, a poesia é a alma humana transcendendo as engrenagens desse pós-futurismo que nos comprime e nos dilata em nossas circunstâncias.
abração!
Lau
Alice Sant´Anna disse…
não se pode subverter ao meio de um dia útil? gostei.

beijo!
Neuzamaria Kerner disse…
Héber,
estou aqui apertanto o nós da gravata, embora não use, só pra ficar elegante e cheia de salamaleques só pra ler os seus poemas.
Achei genial a idéia de colocar uma palavra dando um link para outro poema.
Parabéns! Não é à toa que você partilha dos nossos espaços diversos. Já adicionei nos meus favoritos pra poder voltar sempre.
Um grande abraço, daqueles que só os baianos sabem dar.
Neuzamaria

Postagens mais visitadas deste blog

Natureza humana

1

Lampeja a minha noite
Um anjo a piscar o olho insone
Vem chamar-me à janela
Com doce falar de sonhos

Toma-me a mão e me leva
Muros não podem detê-lo
Faz-me um andarilho da lua
Ser como a luz da estrela

2

Já vem chegando a manhã
Logo a cidade desperta
"A noite é uma doce maçã"
O anjo convida a mordê-la

Sinto a manhã derradeira
Insisto com ele por que
O estranho me diz é apenas
A tua natureza humana
.

Wordtrack for a long play

Na próxima quarta-feira, 07/06, às 21:00, farei a primeira apresentação do meu solo de spoken word Quem anda distraído não sonha acordado, no XIX Seminário de Línguas e Literatura do curso de Letras do UNASP, em Engenheiro Coelho.

O pocket show, que mistura alguns dos meus poemas e crônicas com músicas remixadas, seria lançado no dia 08/07 apenas, no Espaço Luzeart, em Mogi Guaçu, mas decidi fazer uma pré-estréia ao ser convidado para esse evento. A performance propõe, por meio de uma experiência estética, uma reflexão sobre a imaginação literária. O set list do espetáculo, vocês podem ouvir aqui.