Pular para o conteúdo principal

Postagens

Quem anda distraído não sonha acordado

Héber Sales


Muita gente diz: se você prestar atenção, vai perceber a realidade como ela é. Eu digo, porém, que se você de fato prestar atenção, primeiro, vai sonhar, e depois, se continuar atento, verá que a realidade e o sonho são feitos da mesma matéria.

Os que viajam com pressa não sabem disso. Para eles, a distância entre dois pontos é calculada em km ou minutos, elementos que da realidade nada têm. Não têm, por exemplo, aquelas quatro montanhas e três vales que separam a tua casa da minha. Se eles prestassem um pouco mais de atenção, veriam que a estrada, como a cidade, também conta com os seus quarteirões: depois de passar por três cumes, você dobra o último deles e chega onde eu moro.

Esse percurso pode ter os 23 km assinalados naquela placa oficial à beira do asfalto, ou pode ter muitos mais. Depende do estado de espírito de quem nele transita. A saudade, já descobrimos, costuma encompridar os caminhos. Também acontece de, por não desejarmos chegar logo, chegarmos mais rapidam…
Postagens recentes

cá entre nós

dois tipos esperam
na plataforma

o trabalhador olha para o celular

o mendigo
para o vazio.
eu

para não perder de vista
o que pensa o meu pensamento

abandono o poema
e salto no bote que me resta.

sexto sentido

cinco sentidos
cinco janelas
busca o meu coração
estar junto delas

o olho sente o brilho
a língua sente o sabor
a pele, o calor e o frio

a narina sente o aroma
o canto e o ruído
sente somente o ouvido

o meu coração
sente tu-
do, tu-
do

A jóia do tempo

Sugiro usar um cronômetro
para não ser confundido pela vertigem das horas.
Recomendo uma medida para cada ocasião.
Ela pode ser repetida à vontade
ao longo do dia.

10 minutos para quem está começando
a praticar uma técnica de meditação.

30 minutos para quem faz uma busca rápida
por meia dúzia de referências bibliográficas.

50 minutos caso esteja escrevendo um livro
maçante ou lubrificando uma monografia
emperrada.

Um poema pede muito mais tempo, eu diria,
outras vezes, menos um pouco -
um poema é o seu próprio cronômetro.