Pular para o conteúdo principal

manhã

.
café novo no bule
uma pilha de pratos no escorredor
a agenda
finalmente passada a limpo
e a vida
possível outra vez
.
.

Comentários

leilalopes disse…
O que há de trivial tem este objetivo mesmo: arrumar a vida. Sutileza pura, gostei tanto. Bj
Janaína Calaça disse…
Às vezes me irrito quando as pessoas floreiam o cotidiano demais, quando querem transformar o dia a dia em um conjunto de barroquismos. O cotidiano é complexo na sua simplicidade em acontecer. Acho graça quando dizem "ah, isso é inverossímel"... E aí, de sacanagem, eu intimamente sei que extrai minhas linhas daquelas não explicações. Gosto então, Héber, do trivial mesmo... Do café novo no bule, do cheirinho convidativo, da certeza do início ou do fim do dia.
Beijos-bang, menino

Jana

Postagens mais visitadas deste blog

Natureza humana

1

Lampeja a minha noite
Um anjo a piscar o olho insone
Vem chamar-me à janela
Com doce falar de sonhos

Toma-me a mão e me leva
Muros não podem detê-lo
Faz-me um andarilho da lua
Ser como a luz da estrela

2

Já vem chegando a manhã
Logo a cidade desperta
"A noite é uma doce maçã"
O anjo convida a mordê-la

Sinto a manhã derradeira
Insisto com ele por que
O estranho me diz é apenas
A tua natureza humana
.

Wordtrack for a long play

Na próxima quarta-feira, 07/06, às 21:00, farei a primeira apresentação do meu solo de spoken word Quem anda distraído não sonha acordado, no XIX Seminário de Línguas e Literatura do curso de Letras do UNASP, em Engenheiro Coelho.

O pocket show, que mistura alguns dos meus poemas e crônicas com músicas remixadas, seria lançado no dia 08/07 apenas, no Espaço Luzeart, em Mogi Guaçu, mas decidi fazer uma pré-estréia ao ser convidado para esse evento. A performance propõe, por meio de uma experiência estética, uma reflexão sobre a imaginação literária. O set list do espetáculo, vocês podem ouvir aqui.